Trabalhar em espaço de coworking pode ser cerca de 80% mais barato que em escritório comum


Investimento mensal em sala comercial passa de R$ 3 mil, enquanto espaço compartilhado tem custos bem reduzidos

Ideias fervilhando, negócios à vista, espírito empreendedor falando mais alto e… Estrutura zero! Na hora de transformar a empresa dos sonhos em espaço físico, as cifras podem assustar. Quem opta por um escritório convencional acaba se frustrando com a imensidão de gastos para montar um ambiente, no mínimo, confortável. Analisando as possibilidades oferecidas em Cascavel então, a dificuldade fica ainda maior: a cidade tem poucas opções de salas comerciais. “As que estão no centro da cidade são extremamente caras e têm um déficit muito grande de estacionamento. E quando a gente pensa numa área mais afastada do centro, não se encontram muitas salas que se adaptam às necessidades”, explica Valéria Mazutti, consultora empresarial que vai nos ajudar a fazer as contas.

Então, papel, caneta e calculadora na mão. Mensalmente, o empreendedor que opta por um escritório convencional precisa desembolsar aproximadamente estes valores:

1 – Aluguel (sala de 70 m²) – R$ 600,00
2 – Condomínio – R$ 150,00
3 – Luz e água – R$ 190,00
4 – Telefone e internet – R$ 120,00
5 – Café – R$ 50,00
6 – Material para limpeza – R$ 50,00
7 – Material de expediente – R$ 50,00
8 – Salário para secretária – R$ 1.100, 00
9 – Encargos e benefícios – R$ 650,00
10 – Diarista e manutenção – R$ 520,00

Resultado? R$ 3.580,00 mensais fora o investimento inicial com mobília, que por baixo, sai em torno de R$ 10 mil. “Quando a gente inicia um empreendimento, tudo é um teste, né? Então, quando se faz um investimento muito grande em escritório, o risco de ter uma perda é ainda maior do que se você não tivesse esse investimento inicial”, avalia Valéria.

Mas como conseguir um ambiente de trabalho sem desembolsar tanto assim?! Apostando no coworking: uma modalidade de escritório compartilhado que tem se popularizado pelos benefícios financeiros e de relacionamento que oferece. “A estrutura do coworking está toda pronta para a utilização: você não precisa se preocupar em ter uma sala de reunião, mobília ou recepcionista, porque isso tudo já vem com a estrutura do local. E tudo é pago conforme a utilização. Impressão, por exemplo: você paga aquilo que imprime. Muito mais vantajoso do que você ter a impressora 100% disponível, mas utilizar só 30% dela. Sem contar que as salas de reuniões estão sempre preparadas com ar-condicionado, então até conseguir montar isso num escritório que está iniciando é muito difícil. Isso barateia e muito o custo mensal do empreendedor”, detalha.

O Cais Coworking oferece planos diferenciados de acordo com a necessidade de cada profissional. E compare os valores: o custo mais alto para uso do espaço compartilhado é de R$ 600 mensais. “Isso inclui toda estrutura de recepção, limpeza, segurança, energia e água, internet, café, mesa e cadeiras, ar-condicionado, impressora, endereço para correspondência, desconto na utilização de salas de reunião e benefícios na participação de cursos e eventos diversos”, enumera a idealizadora e administradora do Cais Coworking, Cláudia da Silva Frantiozi, concluindo que o gasto mensal em espaço compartilhado pode ser cerca de 80% menor do que em um escritório comum.

Vantagens que atraíram inúmeros profissionais, entre eles a professora de Espanhol, Charlene Moterle. “Além de toda estrutura, ainda não preciso me preocupar com a burocracia de pagamentos. Unifico todas as contas num único valor”, comemora. Sem contar os contatos profissionais que um ambiente compartilhado é capaz de gerar. “O ambiente é tão bom, te motiva tanto! Você vê outros profissionais conquistando oportunidades e vai desejando cada vez mais isso para você também”, finaliza a consultora empresarial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!